O que é DDG e quais os benefícios de utilizar na dieta do gado

4 min de leitura

A alimentação constitui um dos maiores custos na produção de bovinos, e a escolha do insumo adequado pode impactar diretamente a rentabilidade da fazenda. Por isso, na busca por alternativas sustentáveis e economicamente viáveis para a nutrição dos ruminantes, o DDG (Distillers Dried Grains) emerge como uma solução promissora.

Ele não apenas é feito de resíduos que seriam descartados, como pode virar fonte de nutrientes para os ruminantes. Mas como o DDG pode ser integrado de forma eficaz na alimentação dos bovinos? Quais são os cuidados necessários para maximizar seus benefícios sem comprometer a saúde animal? Leia o artigo e descubra!

O que é o DDG?

O DDG, sigla para Distillers Dried Grains, é um coproduto da indústria de biocombustíveis, mais especificamente do processo de produção de etanol a partir de grãos, como milho e sorgo, conforme constatado por Bizuca, em 2020. Podendo ser classificados em 2 tipos, que serão mencionados a seguir.

Quando os grãos são fermentados para produzir etanol, a maior parte dos nutrientes permanece no resíduo que sobra após a extração do álcool. Este resíduo é então seco para produzir o DDG, sendo rico em proteínas (PB), fibras e minerais, podendo ser utilizado na nutrição de bovinos.

Além de suas características nutricionais, é, também, uma alternativa econômica a outras fontes de alimentação, como o farelo de soja, e contribui para uma cadeia mais sustentável, já que usa resíduos de um processo fabril que seriam então descartados.

Quais os tipos de DDG?

De acordo com Picanço (2022), na indústria do etanol, especialmente quando o milho é utilizado como matéria-prima, podem ser  gerados alguns coprodutos, entre eles: DDG (Dried Distillers Grains) e o DDGS (Dried Distillers Grains with Solubles) e Wet Distillers Grains with Solubles (WDGS).

DDG — Grãos Secos de Destilaria

Este contém cerca de 10-12% de umidade, tornando-o similar em manejo a alimentos concentrados comuns como o milho. Sua longa vida útil é uma vantagem significativa, facilitando o armazenamento e o transporte.

A produção de DDG implica na redução da concentração de amido e de carboidratos não fibrosos, e em um aumento de fibra em detergente neutro (FDN) e da proteína não degradável no rúmen, o que pode influenciar na degradabilidade ruminal e, consequentemente, a eficiência alimentar do gado.

DDGS — Grãos Secos de Destilaria com Solúveis

O DDGS difere do DDG pela adição de solúveis ao material sólido após a fermentação. Quando essa fração solúvel (rica em óleos) é reincorporada, resulta no DDGS, um produto de alto teor energético e nutritivo.

O valor nutritivo do DDGS é comparável ao do farelo de soja, com a vantagem de ser uma fonte mais econômica, embora possua limitações quanto aos aminoácidos essenciais, conforme salienta Picanço.

Ambos os tipos oferecem benefícios e representam alternativas viáveis para substituir ingredientes mais custosos na alimentação do gado. A escolha dependerá das necessidades específicas do rebanho e das considerações logísticas.

WDGS, ou Wet Distillers Grains with Solubles. É a forma úmida dos grãos de destilaria que inclui solúveis.

Principais nutrientes presentes no DDG

Concentrações de nutrientes de grãos secos de destilaria (DDG) e grãos secos de destilaria com solúveis (DDGS) em relação à matéria seca, conforme a tabela a seguir:

DDGDDGS
Matéria seca (MS)88-9088-90
Proteína Bruta  (PB)25-3525-32
Proteína Digestível %PB 40-5043-53
Gordura %99
Fibra em Detergente Neutro – FDN40-4439-45
Nutrientes Digestíveis Totais (NDT)%77-8885-90
Cálcio, %0,11-0,200,17-0,25
Fósforo, %0,41-0,800,78-01,08
Fonte: (Picanço 2022).

Quais os benefícios de usar o DDG nas dietas para bovinos

O uso de DDG (Dried Distillers Grains) na alimentação de bovinos traz diversos benefícios que podem otimizar a produção pecuária de forma econômica e sustentável.

Primeiramente, o DDG é uma fonte rica em energia e proteínas, essencial para melhorar o desempenho produtivo de rebanhos de gado de corte, especialmente em fases de crescimento e lactação. Além disso, sua composição variada, que inclui fibras e minerais, contribui para uma dieta mais balanceada e nutritiva.

Economicamente, o DDG é vantajoso por ser mais acessível que outras fontes de proteína como o farelo de soja, ajudando a reduzir os custos de alimentação, ponto importante, em épocas de alta nos preços dos grãos.

A inclusão de DDG também promove a saúde ruminal, melhorando a digestão e a eficiência alimentar. Por fim, utilizar DDG como parte da alimentação animal ajuda a minimizar o desperdício de resíduos da indústria de etanol, contribuindo para práticas de produção mais sustentáveis.

Como o DDG pode ser utilizado na alimentação do gado?

O estudo conduzido por Orcin em 2021 investigou o uso de Grãos Secos de Destilaria (DDG) como alternativa ao farelo de soja na fase de terminação de novilhas Nelore.

Utilizando um grupo de 60 animais, o estudo concluiu que o DDG pode ser usado parcialmente em substituição ao farelo de soja em dietas de confinamento sem impactar negativamente o desempenho dos animais.

No entanto, a substituição total do farelo de soja pelo DDG pode afetar o desempenho se não for complementada com ingredientes que equilibrem a relação entre proteína degradável no rúmen (PDR) e proteína não degradável no rúmen.

Quais os cuidados necessários para ter nessa utilização?

Apesar de apresentar dezenas de benéficos, alguns já mencionados anteriormente, ao utilizar Grãos Secos de Destilaria na alimentação de bovinos, alguns cuidados são essenciais para garantir a eficácia e segurança deste insumo.

Aqui estão as práticas recomendadas:

  • Fonte de qualidade: certifique-se de que o DDG provém de uma fonte confiável e reconhecida. Isso é crucial para evitar variações significativas na composição nutricional do produto, que podem impactar a saúde e o desempenho dos animais;
  • Análises bromatológicas: realizar análises regulares do DDG para verificar sua composição nutricional e valor nutritivo. Essa prática ajuda a assegurar que o produto atende aos requisitos específicos da dieta dos bovinos, com níveis adequados;
  • Manejo e armazenamento: O DDG deve ser armazenado em condições que previnam a contaminação e a deterioração. Locais secos e bem ventilados são ideais para evitar o desenvolvimento de fungos e outros patógenos. Além disso, o produto deve ser mantido longe de umidade para preservar sua qualidade e prolongar sua vida útil.

A integração estratégica do DDG na alimentação bovina

Ao considerar o DDG (como componente na alimentação de bovinos, é fundamental reconhecer que, apesar de suas múltiplas vantagens, não se trata de um alimento completo. Para alcançar uma dieta equilibrada e maximizar o potencial produtivo do rebanho, é imprescindível a complementação com outros ingredientes que equilibrem a relação entre proteína e não degradável.

Para saber mais sobre como o DDG pode ser integrado de forma eficiente na dieta do seu rebanho e descobrir outros produtos que podem complementar a nutrição animal, visite nosso site e explore as opções disponíveis. Aproveite para conhecer o Foscálcio, um complemento ideal para otimizar ainda mais a dieta do seu gado

Este artigo foi útil? Avalie

Compartilhe:

CONTEÚDO TÉCNICO

CONHEÇA MAIS CONTEÚDOS

2 min de leitura São inúmeras as funções dos elementos minerais no organismo animal, podendo a carência de um único elemento ocasionar...
3 min de leitura Apesar de estarem diretamente ligados, esses parâmetros não querem dizer a mesma coisa. Entenda a diferença entre solubilidade...
5 min de leitura Os minerais constituem de 4 a 6% do peso total do animal, destes, 1% corresponde ao fósforo. Saiba...

POSTS RELACIONADOS

Sal mineral importância
4 min de leitura Muitos produtores questionam a importância do sal mineral na alimentação do gado. Neste artigo, vamos esclarecer como o sal mineral não é...
Vaca selecionando a planta forrageira.
5 min de leitura Entender o que é uma planta forrageira e seu papel na agropecuária é indispensável para qualquer produtor. Isso porque essas plantas são...
Pilha de ureia, com saca no canto esquerdo da imagem.
4 min de leitura Se você está envolvido com gado de corte, é provável que já tenha ponderado sobre os benefícios ou tido dúvidas acerca da...
Ureia na alimentação animal vários bovinos comendo no cocho.
5 min de leitura A ureia é um composto muito utilizado como fonte protéica na alimentação de ruminante. Aprenda a utilizar ureia...
Composição do leite: vacas sendo ordenhadas por aparelhos
8 min de leitura Animais nutridos eficientemente além de permitir uma maior lucratividade para o produtor, tendem a produzir um leite de...
Fosfato Bicálcico: bovinos se alimentando
3 min de leitura Você sabia que o fosfato bicálcico é um componente essencial na produção de rações e suplementos para animais? Sua aplicação está voltada...

Você já viu os catálogos de produtos da mosaic fertilizantes?